De pai para filho

Imagem da notícia: De pai para filho

Alexandre Monteiro contou-nos que, à semelhança do que acontece com incontáveis profissões, iniciou a sua atividade em prótese dentária pela necessidade de seguir as pisadas do pai.

“O meu pai iniciou-se na profissão em 1972, pela mão de uma grande técnico de prótese dentária removível, José Eduardo Graça (falecido). Na altura, ainda não se falava de prótese fixa e muito menos de implantes. Trabalhava na área da prótese em ‘part-time’, pois era também vendedor de material dentário na muito conhecida Machado Malcher. Abriu o seu próprio laboratório, Manuel João Monteiro, em 1979, na clínica da Circunvalação. Em 1982, passou para novas instalações, onde ficou até 2009. Permaneceu no ativo até aos 55 anos de idade. A continuidade é feita por mim, juntando ao trabalho do meu laboratório, até aos dias de hoje”.

Saiba mais na LabPro 16!

11 Maio 2015
Entrevistas

Notícias relacionadas

“A prótese removível é o patinho feio da prótese dentária”

Maria de Lurdes Veiga Kraemer nasceu em Dume, Braga, mas cedo partiu para a Alemanha com os pais, onde tirou o curso profissional de técnica de prótese dentária por “mero acaso”. Numa conversa com a LabPro, a técnica de prótese dentária falou sobre a escolha profissional, o laboratório de prótese que tem com o marido, da colaboração com a Merz Dental, na qual dá formação, e da dificuldade da prótese removível se afirmar no mundo da prótese.

Ler mais 12 Agosto 2021
EntrevistasPrótese dentária