Inteligência artificial e sustentabilidade dominaram IDS 2023

Imagem da notícia: Inteligência artificial e sustentabilidade dominaram IDS 2023

No 40º International Dental Show (IDS) foram vários os temas em destaque, num evento que mostrou ao mundo as tendências no que diz respeito à produção de próteses, ao desenvolvimento de novas soluções para o consumidor final ou o design digital com a aposta clara na inovação das fresadoras. Revisitamos o evento que teve lugar de 14 a 18 de março de 2023, em Munique, Alemanha.

Muitas tarefas no fluxo de trabalho protésico estão-se a tornar mais rápidas e precisas. Novos blanks de cera permitem testes estéticos e podem ser encerados na boca do paciente, permitindo que a coordenação entre o dentista e o laboratório funcione de forma mais fluída.  

Produção e adaptação rápida e precisa de próteses 

Um novo scanner extraoral permite que dois modelos sejam digitalizados ao mesmo tempo. Por exemplo, o técnico dentário coloca um modelo do maxilar superior e um do maxilar inferior em cada uma das duas placas de digitalização e clica no botão iniciar. A digitalização é concluída em 10 segundos e, após dois minutos, os modelos digitais estão prontos para uso no software de design (no exemplo dado: OK/UK). Em alternativa, as impressões podem ser digitalizadas em vez dos modelos; neste caso, o tempo de digitalização leva 45 segundos. O scanner simultâneo opera usando duas unidades de iluminação ótica e oito câmaras. A precisão da digitalização é de 5 μm (de acordo com a norma ISO 12836) e o processamento posterior ocorre de acordo com fluxos de trabalho digitais conhecidos, tanto em termos de software como de substâncias. 

Enquanto isso, novas fresadoras estão a transferir um nível mais alto de velocidade e precisão de fresagem para laboratórios dentários, devido à inovadora tecnologia de controlo em tempo real – os tempos de fresagem são 30% mais rápidos que o normal. Sendo que a qualidade da superfície é muito melhor do que a obtida pela correção manual. Desta forma, os laboratórios podem aumentar a sua produtividade e qualidade e entregar mais rapidamente aos dentistas e pacientes. Os objetos são automaticamente organizados de forma otimizada, a função está incorporada no software e funciona sem a necessidade de exportação prévia, como se pode verificar, numa apresentação do IDS uma nova impressora com unidades de pós-processamento compatíveis. 

A integração de restaurações protésicas é mais fácil após a IDS. Porque um compósito de cimentação autoadesivo reduz o número de componentes necessários. O monómero MDP original (di-hidrogenofosfato de 10-metacriloiloxidecil) e o silano original para a ligação adesiva forte já estão incluídos. Sendo que o primeiro componente garante a ligação ao esmalte, dentina, metal e óxido de zircónio, o segundo componente a ligação à cerâmica, material cerâmico de silicato de lítio e compósito. Desta forma, é necessário apenas um único componente e nenhum primer separado. Isto torna a aplicação clínica eficiente e minimiza o potencial de erro – para a fixação permanente de coroas e pontes feitas de óxido de zircónio, dissilicato de lítio, cerâmicas híbridas e ligas metálicas. 

Saiba mais na edição 54 da revista LabPro.

28 Fevereiro 2024
Eventos e formação

PUBLICIDADE
MineralDente - Recrutamento

Notícias relacionadas

Itália é país convidado de nova edição da Expodental

O evento, organizado pela IFEMA MADRID em colaboração com a Fenin, terá lugar nos Salões 4, 6 e 8 do Centro de Exposições, e contará com a presença de mais de 370 expositores diretos. A organização espera ultrapassar o número alcançado em 2022, com 27.000 visitantes.

Ler mais 14 Março 2024
Eventos e formação