Reunião da Associação Dentária Lusófona

Imagem da notícia: Reunião da Associação Dentária Lusófona

No dia 23 de novembro, o auditório III do Centro de Congressos de Lisboa albergou a Reunião da Associação Dentária Lusófona (ADL).

Para além do bastonário da OMD, Orlando Monteiro da Silva, e de Pedro Pires, coordenador da Expo-Dentária e moderador desta sessão, marcaram presença as principais figuras das associações ligadas à Medicina Dentária (MD) dos Países de Língua Oficial Portuguesa (PALOP’s).

Nesta reunião, que teve lugar logo a seguir à hora de almoço, falou-se sobretudo das diferenças que existem ao nível do ensino e do exercício da Medicina Dentária nestas regiões.

O representante da Associação Nacional dos Técnicos de Estomatologia de Angola (ANTEA) foi o primeiro a subir ao palanque e disse “a ADL é uma organização muito bem-vinda, pois torna-nos mais fortes. Angola tem muito a ganhar com a associação. A Medicina Dentária no nosso país está ainda a dar os primeiros passos e, por isso, precisamos da colaboração de todos para crescer”.

Logo de seguida, tomaram a palavra dois representantes da Associação Brasileira de Cirurgiões Dentistas (ABCD), que explicaram que “no Brasil existem 205 faculdades e 80 mil cirurgiões dentistas só em São Paulo. Somos mais de 200 mil no país inteiro. Porém, apesar de muitos, os dentistas estão mal distribuídos. A odontologia tem muita gente, mas no nosso país existem também muitos desdentados. É urgente fechar faculdades e distribuir melhor os profissionais, para chegarmos a toda a gente”.

Depois, ouvimos as representantes da Associação de Dentistas de Cabo Verde.

“No nosso país, não temos cursos de Medicina Dentária, sendo que os dentistas têm que formar-se no estrangeiro. A nossa MD é de cariz curativo, queremos apostar mais na prevenção. Vimos beber do vosso conhecimento, principalmente do que existe em Portugal, incluindo Açores pela semelhança geográfica com Cabo Verde, e no Brasil. Queremos, para o futuro, ter um programa de saúde oral, organizar congressos e criar cursos de Medicina e Prótese Dentária na nossa ilha”, invocaram as responsáveis cabo-verdianas.

De Moçambique, falaram as representantes da Associação Moçambicana de Médicos Dentistas (AMMD).

“Queremos promover a MD além fronteiras. Já conseguimos organizar o nosso primeiro congresso, no início de novembro, e temos participado em algumas cimeiras e outros congressos importantes”. Artur Lima, representante da OMD nos Açores, terminou os discursos. “Temos que dar força à ADL, por forma a melhorar a saúde oral nos PALOP’s. O objetivo é trocarmos ideias e experiências para podermos crescer e fazer uma Medicina Dentária melhor”.

Discutiu-se assim o estado da profissão, a realidade atual e perspetivas futuras, bem como o exercício profissional nos países lusófonos.

Mais, falou-se ainda da recente parceria da ADL com a Sociedade Portuguesa de Estomatologia e Medicina Dentária (SPEMD), nas palavras de Jaime Portugal, presidente da SPEMD.

A ADL é constituída por associações de Portugal, Angola, Brasil, Cabo Verde, Macau, Moçambique e Timor-Leste.

18 Dezembro 2013
Eventos e formação