OMD alerta para os riscos do cigarro eletrónico

Imagem da notícia: OMD alerta para os riscos do cigarro eletrónico

A propósito do Dia Mundial Sem Tabaco, que se assinalou a 31 de maio, a Ordem dos Médicos Dentistas (OMD) exige um maior controlo na comercialização de cigarros eletrónicos e a proibição de qualquer tipo de publicidade, incluindo publicidade encapotada nas redes sociais.

O bastonário da OMD, Orlando Monteiro da Silva, denuncia ”a falta de regulação sobre estes cigarros eletrónicos, que não permite saber qual a composição dos líquidos, que é diversa e muito variada. Sabe-se que contém substâncias como propilenoglicol, glicerina e, claro, nicotina, e já foram detetados carcinógenos, como aldeídos, carbonatos e metais pesados”.

Orlando Monteiro da Silva considera que“a população não está suficientemente alertada para os riscos dos cigarros eletrónicos, apresentados pelas tabaqueiras como sendo de menor risco que o cigarro tradicional. O menor risco, que ainda não está sequer provado que assim seja, não significa que estes cigarros eletrónicos sejam inócuos para a saúde, muito pelo contrário. A nicotina é inalada e os estudos científicos que existem sobre o consumo destes cigarros eletrónicos mostram que os seus consumidores têm maior probabilidade de presentar xerostomia (boca seca), estomatite, língua pilosa ou queilite angular. O consumo destes cigarros eletrónicos contribui ainda para a progressão da doença periodontal (da gengiva)”.

A OMD pede especial atenção das autoridades porque Portugal é, segundo dados do Eurobarómetro, o país da União Europeia onde menos fumadores querem deixar de fumar e deixam efetivamente de fumar, e um dos países onde os jovens começam a fumar mais cedo. Diversos estudos mostram que os adolescentes e os jovens adultos procuram este tipo de cigarros porque consideram que são menos prejudiciais para a saúde do que o tabaco tradicional.  

A pressão publicitária contribui para a noção errada de que estes produtos estão quase isentos de risco. Ainda recentemente, refere o bastonário da OMD, “a Phillip Morris, a maior empresa de tabaco do mundo, recorreu a vários ‘influencers’ digitais, em vários pontos do mundo, para publicitar os seus cigarros eletrónicos, pretendendo dar uma imagem de glamour e de alta tecnologia, dando a entender enganadoramente que é possível a inalação de nicotina limpa de substâncias adversas”.

No caso da saúde oral, o consumo de tabaco, seja ele qual for, é altamente prejudicial para os tecidos moles e duros da boca e é um fator de risco ou contributivo para doenças de natureza inflamatória, infeciosa, degenerativa e neoplásica, como são exemplo, a doença periodontal, a perda dentária, as complicações pós-cirúrgicas, os insucessos com implantes dentários, lesões potencialmente malignas ou o cancro oral, um dos mais mortíferos em Portugal.

3 Junho 2019
Atualidade

Notícias relacionadas

Direção da APTPD sobre os 10 anos da LabPro

Desafiámos os nossos leitores a escreverem-nos e a darem-nos a sua opinião sobre a LabPro, sobre a evolução do setor da prótese dentária em Portugal nestes últimos 10 anos e sobre a importância da nossa revista neste percurso. Hoje destacamos o testemunho da direção da APTPD – Associação Portuguesa de Técnicos de Prótese Dentária.

Ler mais 18 Janeiro 2021
Atualidade

Novo confinamento: clínicas e laboratórios podem abrir

O Governo já anunciou as medidas do novo confinamento geral para um combate necessário ao avultado número de infetados com Covid-19. Na generalidade, voltam a ser aplicadas as regras do primeiro confinamento, mas com novas exceções. É o caso da medicina dentária. As clínicas vão manter-se abertas, logo os laboratórios de prótese dentária poderão continuar em funcionamento.

Ler mais 14 Janeiro 2021
AtualidadePrótese dentária

João Caramês tomou posse como novo diretor da FMDUL

No passado dia 4 de janeiro realizou-se a tomada de posse do novo diretor da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa (FMDUL), João Caramês. Esta cerimónia decorreu pelas 12h na Sala do Senado do edifício da Reitoria da Universidade de Lisboa.

Ler mais 13 Janeiro 2021
Atualidade