Equipadente, uma longa “história de resiliência”

Imagem da notícia: Equipadente, uma longa “história de resiliência”

1976 marca o início da Equipadente. Volvidos quase 46 anos desde esse marco, muitas são as histórias que ficaram por contar. No dia 20 de março de 2022 a Equipadente viu partir o seu fundador, Francisco Veiga. Apesar do momento de luto toda a equipa pretende “seguir com o projeto”, “homenagear o seu fundador” e “lutar pela diferenciação, ajudando o próximo, seja ele paciente, amigo ou colega de profissão!”. A LabPro conversou com Helena Veiga, filha de Francisco Veiga e gerente deste projeto, para saber um pouco mais sobre a história da Equipadente e o legado do pai.

“A Equipadente surge algures em outubro de 1975, sendo criada a sociedade a 12 de novembro de 1976, com os sócios Dr. Francisco Veiga, Dr. Manuel Ambrósio, Dr. Francisco Esturrado e Dr. Manuel Marques. Inerente à constituição está também o contabilista Francisco Chumbo, fundador da DianaConta, que nos acompanha até aos dias de hoje. Ao longo dos anos, cada sócio foi seguindo o seu percurso individualmente, sem que os laços de amizade e companheirismo fossem quebrados. A Equipadente ficou a cargo do Dr. Francisco Veiga e da sua esposa Francisca Veiga. Em 2002, com o falecimento da esposa, eu, como filha, passo a fazer parte desta sociedade. Ao longo destes quase 46 anos, a Equipadente formou muitos dos técnicos de prótese dentária que exercem em Évora e acolheu também diversos médicos dentistas”, conta Helena Veiga. 

O que começou por ser um laboratório de prótese dentária, no Largo dos Mercadores, em Évora, rapidamente passou a acolher também uma clínica dentária. “A Equipadente começou por ser um laboratório de prótese dentária, no Largo dos Mercadores, em Évora. O Dr. Francisco Veiga fazia atendimentos em várias cidades/vilas e aldeias do distrito de Évora e, posteriormente, mudou-se para um outro espaço, na Rua dos Mercadores, onde atendia os pacientes no seu gabinete e tinha também o laboratório próprio de prótese dentária. Começou a diversificar os seus serviços na última mudança para a Rua Sebastião Silva, na Urbanização do Moinho, onde construiu de raiz a clínica e o laboratório. Rodeou-se dos melhores médicos dentistas, para poder ter um atendimento mais diversificado e especializado e passou a dispor de serviços como implantologia, ortodontia, cirurgia oral…”.

Após um diagnóstico de doença, em 2018, Francisco Veiga começa progressivamente a deixar o exercício das suas funções, para se dedicar à saúde. É nessa altura que, segundo a filha, se rodeou de médicos dentistas que pudessem continuar a dar vida à Equipadente. “Por esta altura já havia a participação ativa do Dr. Filipe Vidigal e do Dr. Carlos Simões. Entretanto, cruzaram-se no nosso caminho o Dr. Telmo Coelho, a Dra. Brigite Leite e a Dra. Joana Trigo, que iniciaram funções connosco em junho de 2018. Uma outra pessoa muito importante na manutenção da clínica é a assistente dentária Sílvia Mendes, que está na nossa casa desde 2001. O Dr. Francisco Veiga foi introduzindo os médicos dentistas aos seus pacientes e transmitiu também muito do seu conhecimento até ao início deste ano”.

Agora à frente da Equipadente, Helena Veiga conta com a ajuda de Filipe Vidigal, na direção clínica. Questionada sobre o futuro, a responsável afirma que pretendem “continuar o bom trabalho até agora desempenhado, melhorando e adaptando-nos às práticas mais modernas, dando a melhor resposta possível aos nossos pacientes, sempre pautados pelo profissionalismo que nos foi incutido”. E acrescenta: “Agradecemos ao Dr. Francisco Veiga todos os ensinamentos, o legado deixado, que nunca será esquecido. A melhor forma para o demonstrar é seguir com o seu projeto, um bebé que criou, e que conta com quase 46 anos. Equipadente é um nome que carrega já uma longa história de resiliência! Temos a mesma vontade de lutar para nos diferenciarmos ajudando o próximo, seja ele paciente, amigo ou colega de profissão!”.

Sem nunca esquecer o pai, patrão e amigo, Helena Veiga recorda ainda os “almoços de quinta-feira, que juntavam família, funcionários, ex-funcionários, amigos, colegas, fornecedores e todos aqueles que gostassem de conviver”.

Francisco Veiga era “pragmático, decidido, empenhado e com objetivos claros. Pai de dois filhos, um dos quais com paralisia cerebral profunda, Francisco Veiga agarrou-se para lutar e vingar na vida. De uma família modesta, foi a pulso que foi construindo o seu percurso, nunca deixando para trás quem o ajudou. Mentor de muitos técnicos de prótese dentária e médicos dentistas, fazia gosto em partilhar os seus conhecimentos. Era lutador e tinha uma força de viver incrível!”.

8 Julho 2022
AtualidadeEntrevistas

Notícias relacionadas

Henry Schein anuncia iniciativa “Practice Green”

A Henry Schein anuncia a Practice Green, uma iniciativa internacional concebida para incentivar as clínicas, as equipas de prática clínica e os laboratórios sediados em Portugal a adotar práticas mais ecológicas, bem como para ajudar a capacitar a comunidade de cuidados de saúde a estabelecer práticas sustentáveis para um planeta mais saudável.

Ler mais 2 Fevereiro 2023
Atualidade

“A presença do ministro da saúde faz-nos encarar o futuro com expectativa”

Para Teresa Alves Canadas, presidente da comissão organizadora do 31º Congresso da OMD, “a presença do ministro da saúde, Manuel Pizarro, e as ideias que partilhou com a classe faz-nos encarar o futuro com expectativa quanto à definição de uma estratégia que coloque em ação a visão reformista para a medicina dentária portuguesa”.

Ler mais 1 Fevereiro 2023
Entrevistas